Federação Catarinense de Motociclismo

Etapa de Capinzal deixa o campeonato
embolado para São Miguel do Oeste
Texto: Reportagem FCM - Fotos: arquivo FCM - Gerson Coas

Largada MX2

 

A etapa de Capinzal, no meio oeste de Santa Catarina, realizada nos dias 16 e 17 de outubro, deu início a reta final da temporada 2010 do Riffel Motocross – Campeonato Catarinense. Lá, na pista do Parque de Exposições Domingos Pelizzaro, os pilotos Marcello “Ratinho” Lima (MX1), Anderson Cidade (MX2), Richard Berois (MX3), Claiton Detoni (MX4), Venício Voigt (intermediária), Vinícus Nalin (nacional), Rodrigo Riffel (85cc), José Brayan (65cc) e Thiago Brenner (55cc) saíram como vencedores da etapa e a briga pelo título estadual chega embolada à quinta etapa, neste final de semana, 13 e 14 de novembro, em São Miguel do Oeste.

Na quarta etapa do Riffel Motocross, em Capinzal, a bateria da categoria MX1, principal do campeonato, repetiu o duelo das equipes Yamaha/Geração e Kawasaki/Rinaldi.

João Paulo Feltz (Yamaha/Geração) largou na frente seguido por seu companheiro de equipe, Gabriel Gentil. Gabriel assumiu a liderança, mas a sua permanência na ponta durou apenas três voltas, pois seu pulso direito, ainda em recuperação, não permitiu que ele mantivesse o ritmo, ainda mais após tomar uma pressão de Marcello “Ratinho” (Kawasaki/Rinaldi), que deu o bote e assumiu a liderança.


Gabriel Gentil #29 e Ratinho #38

 

Anderson Cidade (Yamaha/Geração), que largou em terceiro, passou seu companheiro de equipe e assumiu a segunda colocação partindo em busca do líder. Anderson pressionou e jogou pra cima de Ratinho, e mais forte conseguiu passar, porém Marcello estava mais rápido em dois pontos da pista, e foi nesses pontos que conseguiu retribuir e recuperar a primeira posição. “Eu já vinha forte naquela descida, mas o Rato estava ainda mais rápido, quase perdendo a moto de controle, mas ainda assim conseguiu me passar”, explicou Anderson.


Anderson #20 e Ratinho #38

 

Aí foi a vez de Dudu Lima entrar em ação. O piloto da Kawasaki/Rinaldi iniciou uma perseguição a Anderson, que até tentou encostar em Ratinho novamente, mas pressionado por Dudu, não podia usar a melhor linha da pista porque precisava defender sua linha interna e segurar a posição.


Dudu Lima

 

Com Anderson tendo que segurar Dudu, Ratinho conseguiu se distanciar e administrar a pequena vantagem que ganhou beneficiado pela disputa pelo segundo lugar. “Foi uma prova muito disputada. Consegui assumir a ponta, mas o Anderson fez uma pressão e nisso eu acabei caindo na curva da largada, ainda consegui voltar a tempo de encostar nele, mas tive que fazer muito esforço para reassumir a ponta, pois na queda bati meu ombro que ainda está em recuperação e estava doendo muito, mas felizmente consegui a vitória”, disse Ratinho.


Ratinho

 

Agora, a principal categoria do campeonato chega a São Miguel do Oeste com Ratinho na liderança, somando 88 pontos contra 82 de Anderson.

A vantagem numérica do time azul ficou evidente quando Anderson largou na frente na categoria MX2 e disparou, enquanto Ratinho, que não fez uma boa largada, precisou passar por Gabriel e Feltz.

O piloto Kawasaki/Rinaldi teve trabalho para ganhar as posições dos pilotos Yamaha/Geração e só conseguiu chegar até a segunda colocação na 13ª volta. Enquanto isso, Anderson aproveitou para acelerar tudo o que podia e se distanciar da briga por posições. Em determinado momento da prova, o piloto de São José chegou a abrir pouco mais de 15 segundos de vantagem para o segundo colocado, podendo assim, andar com mais tranquilidade lá na frente. “Como larguei na frente, procurei forçar bastante no início, para depois poder andar com mais cautela, ficando difícil de ser ultrapassado”, comentou Anderson.


Anderson Cidade

 

 Quando Ratinho finalmente chegou à segunda colocação, Anderson já estava muito na frente. O piloto da equipe verde impôs um ritmo forte, e a cada volta baixava a diferença para Anderson, que no final já estava em pouco mais de quatro segundos, e que mesmo assim, não foi suficiente para tirar a vitória do piloto Yamaha/Geração. “Larguei muito mal, e tive que fazer uma prova de recuperação. Demorei muito para chegar na segunda colocação, estava um pouco travado no início, com dores no ombro, mas no decorrer da prova fui me recuperando, consegui chegar e diminuir bastante a vantagem do Anderson, mas ele estava muito na frente e não foi suficiente para tentar a vitória”, explicou Ratinho.

Com isso, Anderson além da vitória, auxiliou o companheiro de equipe João Paulo Feltz, que está na briga direta pelo título da categoria, para que o líder Ratinho não disparasse muito na classificação. A diferença do líder para o vice-líder da categoria chega a quinta etapa, em São Miguel do Oeste, em apenas nove pontos.


João Paulo Feltz

 

Richard Berois venceu a primeira no catarinense de motocross durante a quarta etapa, em Capinzal. Correndo em casa, na etapa anterior em São José, o piloto jogou fora a chance de vitória ao se chocar com Erivelto Nicoladelli faltando poucas voltas para o final. Dessa vez, o piloto Yamaha/Geração largou na frente e teve calma para administrar. Erivelto chegou a pressionar, mas encontrou vários retardatários pelo caminho, o que dificultou uma aproximação mais intensa na briga pela vitória. “A prova foi sucesso total. Consegui fazer o holeshot, a pista estava muito difícil com muita vala e buraco. Além disso, os ponteiros encontraram muita dificuldade com os retardatários, mas felizmente consegui administrar a minha vantagem e sair daqui com a vitória”, comentou o vencedor.


Richard Berois

 

Mesmo com a vitória de Richard, Nicoladelli segue líder da categoria, mas agora a diferença entre os dois é de apenas seis pontos.


Erivelto Nicoladelli

 

Na categoria MX4 a briga pelo título está acirrada. Claiton Detoni venceu em Capinzal, mas quem chega a quinta etapa na liderança da categoria é Mirko dos Santos, com apenas dois pontos de vantagem para o vice-líder, Marcos Roberto Holtman.


Claiton Detoni

 


Mirko dos Santos

 

Em Capinzal Venício Voigt, mais uma vez, mostrou que é rápido no barro, dominando a prova da categoria intermediária de ponta a ponta. O piloto chegou a ser pressionado por Tauan Brenner no início da bateria, mas conseguiu superar a pressão e administrar a posição até a vitória. “Eu e ele estava errando junto. A pista estava bem técnica, estava com medo de mudar o trilho, porque a moto não ajudava e por isso, não consegui manter o ritmo do início”, comentou Tauan.


Tauan Brenner

 

Com a vitória e o tropeço de Samuel Pacheco, que finalizou a bateria na sexta colocação, Venício assumiu a liderança da categoria, abrindo seis pontos de vantagem para Samuel. “Essa vitória veio em boa hora. Estava precisando vencer para assumir a liderança”, disse o vencedor.


Venício Voigt

 

Com a vitória de Vinícius Nalin na etapa de Capinzal, a disputa pelo título da categoria Nacional chega a São Miguel do Oeste indefinida. A diferença que Eduardo Rosing mantinha na liderança, agora caiu de 10 para seis pontos.


Eduardo Rosing #89 e Vinicius Nalin #262

 

Já nas categorias de base, a disputa pelo título está mais tranquila. Os líderes Rodrigo Riffel (85cc), José Brayan (65cc) e Thiago Brenner (55cc), mais uma vez venceram na etapa de Capinzal e se distanciaram ainda mais na classificação.


Rodrigo Riffel

 


José Brayan

 


Thiago Brenner

 

Programação

A quinta etapa do Riffel Motocross – Campeonato Catarinense inicia no sábado, 13, a partir das 14 horas com os treinos livres. No domingo, as motos entram na pista às 10 horas para o warm-up e às 12 horas as categorias MX3/MX4 dão início as disputas oficiais do estadual.

Relembre aqui a etapa de São Miguel do Oeste em 2009, acessando a galeria de fotos.

Apoio:

FCM

Federação Catarinense de Motociclismo

Rua Comandante José Ricardo Nunes, 79
Capoeiras - Florianópolis - SC - 88070-220
Fone: (48) 3248-1950 Fax: 3348-8681
Email: fcm.sec@gmail.com

2001-2015 Todos os direitos reservados - Proibida reprodução do conteúdo sem autorização.